Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sofia Margarida

Vem descobrir. Vem partilhar. Vem conhecer um mundo que é só meu...

Livros: A sombra do Ventro

a-sombra-do-vento.jpg

 

Sinopse:

Numa manhã de 1945 um rapaz é conduzido pelo pai a um lugar misterioso, oculto no coração da cidade velha: o Cemitério dos Livros Esquecidos. Aí, Daniel Sempere encontra um livro maldito que muda o rumo da sua vida e o arrasta para um labirinto de intrigas e segredos enterrados na alma obscura de Barcelona.
Juntando as técnicas do relato de intriga e suspense, o romance histórico e a comédia de costumes, "A Sombra do Vento" é sobretudo uma trágica história de amor cujo o eco se projecta através do tempo. Com uma grande força narrativa, o autor entrelaça tramas e enigmas ao modo de bonecas russas num inesquecível relato sobre os segredos do coração e o feitiço dos livros, numa intriga que se mantém até à última página. 

___________________________________________________________________

 

A minha opinião:

O amor que Daniel Sempere sente pelo livro que trouxe do Cemitério dos livros esquecidos, a forma como ele se envolve com a sua história, com o seu escritor, a vontade de saber mais sobre tudo o que o envolvesse, é marcante e a mim deixou-me completamente fascinada. Conseguia sentir a entrega dele, da mesma forma como eu me envolvia a cada página com A Sombra do Vento. Foi um livro em que a vontade de virar a folha, para descobrir cada detalhe desta bonita história, crescia a cada momento que lia uma nova frase. Todo o seu mistério, toda a sua envolvente, toda a história passada numa Barcelona antiga. A história entranhou-se de tal forma em mim, que só tinha vontade de devorar o livro de início ao fim, sem pestanejar. Uma linda história de amor, intrigas, segredos... A forma como um livro pode mudar a vida de alguém. Ou, como, por de trás de um livro pode estar uma linda história de amor.

___________________________________________________________________

 

Um momento que gostei:


— Não podes contar a ninguém aquilo que vais ver hoje, Daniel —
advertiu o meu pai. — Nem ao teu amigo Tomás. A ninguém.
— Nem sequer à mamã? — inquiri eu, a meia-voz.
O meu pai suspirou, amparado naquele sorriso triste que o perseguia
como uma sombra pela vida.
— Claro que sim — respondeu, cabisbaixo. — Para ela não temos
segredos. A ela podes contar tudo. 

 

 P.s.: Para as minhas queridas meninas, que me incentivam a ler e muito me chatearam para por um post sobre um livro. Sei que não está muito bom...mas isto promete ahahahha

31 comentários

Comentar post

Some blog design Written by Joana