Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sofia Margarida

Vem descobrir. Vem partilhar. Vem conhecer um mundo que é só meu...

Livros: À procura de Alaska

image.jpg

 

Sinopse:

Na escuridão atrás de mim, ela cheirava a suor, luz do sol e baunilha, e, nessa noite de pouco luar, eu pouco mais podia ver além da sua silhueta, mas, mesmo no escuro, consegui ver-lhe os olhos - esmeraldas intensas. E não era só linda, era também uma brasa."
Alaska Young. Lindíssima, esperta, divertida, sensual, transtornada… e completamente fascinante. Miles Halter não podia estar mais apaixonado por ela. Mas, quando a tragédia lhe bate à porta, Miles descobre o valor e a dor de viver e amar de modo incondicional.
Nunca mais nada será o mesmo.

___________________________________________________________________

 

A minha opinião:

Para mim os livros do John Green são de leitura leve, divertida, jovem... Adoro a sua forma simples de escrever e a sua imaginação para criar histórias. 

Este livro fala da história de um rapaz, como tantos outros, marginalizados na selva que é o ensino, onde se juntam por grupos. Com muita vontade de encontrar a sua " Grande Incógnita", Badocha decide abandonar a sua antiga escola e entrar numa escola interna. Longe do que ele podia imaginar, começa a fumar , a beber, junta-se ao grupo dos "rebeldes" e encontra a sua grande paixão, Alaska. Uma rapariga linda, mas com uma personalidade difícil de compreender... Quando, finalmente, a consegue beijar... algo muda para sempre! Um livro que conta muitos dos dilemas dos jovens como popularidade ou falta dela, lealdade, amizade, separação, união, amor , paxão... Um livro em contagem decrescente até ao "momento" e a contagem crescente depois dele.

___________________________________________________________________

 

Um momento que gostei:

 - Passamos a vida inteira encurralados no labirinto, a pensar em como sairemos dele um dia e em como será espetacular, e a imaginar que o futuro nos mantém a andar, mas nunca de lá saímos. Limitamo-nos a usar o futuro para fugir ao presente.

- Acho que aquilo fazia sentido. Eu imaginava a vida no Creek mais empolgante do que era - na verdade, tinha havido mais trabalhos de casa do que aventura -, mas se não tivesse imaginado assim, nunca teria vindo para o Creek.

18 comentários

Comentar post



Sofia Margarida nasci em Castelo Branco. Contabilista Certificada formada em Contabilidade e Gestão Financeira, mas toda a vida apaixonada pelas artes, manuais principalmente.

            


facebook



Image and video hosting by TinyPic

Instagram


Image and video hosting by TinyPic

Image and video hosting by TinyPic
Some blog design Written by Joana